Investir em capacitação é de extrema importância no atual cenário do mundo do trabalho. Progredir na profissão, obter melhorias salariais, adquirir novos conhecimentos e acompanhar o que há de mais novo na sua área de atuação. Seja qual o for o motivo, o fato é que os servidores públicos também têm procurado cursos de pós-graduação para se capacitar. Na Univasf, técnicos administrativos em educação (TAEs) e docentes estão buscando se qualificar através de diversos programas, entre eles mestrado e doutorado.

Em 2015, segundo a Superintendência de Gestão de Pessoas (SGP), 15 servidores concluíram cursos de mestrado e doutorado até o momento. E nesta semana dedicada ao servidor, cujo dia é comemorado em 28 de outubro, você vai conhecer alguns profissionais que trilharam esses caminhos e suas dicas para ingressar no mundo da pós-graduação.

O administrador Mario Cleone de Souza Junior, servidor lotado na Secretaria de Administração (Secad) da Univasf, concluiu este ano o Mestrado Profissional em Gestão de Políticas Públicas e Segurança Social,pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB). Para ele,o curso foi uma forma de aprimorar seus conhecimentos na área de Administração Pública e assim melhorar o seu trabalho. “Serviu para conectar o que eu realizo no ambiente de trabalho com a teoria”, reflete.

Mario considera essencial que os servidores da Univasf sempre busquem se qualificar. “Parte da premissa de que ele está inteirado com o seu ambiente de trabalho e buscando melhorar cada vez mais”. Sua meta a partir de agora é dar continuidade à sua dissertação intitulada “Relação entre compras públicas e empresariado regional: o caso da Univasf nos municípios de Juazeiro e Petrolina” num programa de doutorado, o que para ele é uma evolução natural do processo de qualificação. “Um mestrado traz novas oportunidades profissionais”, enfatiza.

Graduada em contabilidade, Suzana Andrade, diretora de Assuntos Estudantis da Pró-Reitoria de Assistência Estudantil (Proae), buscou no Mestrado de Políticas Sociais e Bem Estar pela Universidade de Oviedo, na Espanha, uma base mais aprofundada sobre políticas públicas para um melhor desenvolvimento de suas atividades. O curso foi realizado entre 2014 e 2015 e ela já está aplicando em seu dia a dia de trabalho os conhecimentos adquiridos na experiência vivida durante o mestrado. “Queria entender com mais profundidade este tema. Estou aplicando desde a teoria até os processos de gestão, os projetos, as intervenções”, conta.

A principal dica de Suzana para outros servidores que querem ingressar numa pós-graduação é fazer planejamento prévio. “O mais importante é ter planejamento, com no mínimo um ano de antecedência, tanto financeiro quanto no contato com as instituições onde você trabalha e onde irá estudar”, diz a servidora.

Planejamento foi o que Gineton Ferreira fez antes de iniciar seus cursos de pós-graduação. O técnico de laboratório do Campus Juazeiro, com o mestrado realizado,foi em busca de ampliar ainda mais o seu conhecimento na área de química. Desde 2012, ele está cursando doutorado em Biotecnologia,na Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE).

Gineton reflete sobre a importância do apoio dado pela Univasf para que os servidores progridam na carreira através das capacitações. “A Univasf dá essa abertura para que você possa estudar e assim avançar na carreira. Além dos conhecimentos você eleva a sua remuneração e isso pode ser um incentivo para que mais servidores, não apenas os professores, mas também os técnicos, possam buscar esses cursos”, observa.

Na opinião dele, os servidores não devem ficar estagnados no cargo que ocupam, mesmo com as dificuldades que um curso de pós-graduação possa trazer. “Meu mestrado foi aqui na Univasf, mas o meu doutorado tive que cursar em outra instituição. Essa dificuldade de locomoção pode levar muitas pessoas a desistir. Contudo, assim como o meu programa faz parte de uma rede em que as aulas são condensadas para que os alunos de outras partes do país possam cursá-las, podem existir outros”, comenta.

 

Por: Lucas Sobreira