Proporcionar momentos de locomoção numa cadeira de rodas ou com muletas a pessoas que não têm deficiências físicas que as impeçam de andar. Possibilitar alguns instantes com o uso de venda e bengala a indivíduos sem deficiência visual. Conversar na Língua Brasileira de Sinais (Libras) com pessoas que não têm surdez. E provocar reflexões e coletar as impressões sentidas por todos nessas breves experiências.

Esta é a proposta do projeto Sentindo na Pele, desenvolvido pela Coordenação de Políticas de Educação Inclusiva (CPEI). O intuito da iniciativa é sensibilizar a sociedade em relação à inclusão de pessoas com deficiência e à acessibilidade em eventos e atividades diversas.

As ações do projeto podem ser realizadas em qualquer evento promovido na Univasf. O Sentindo na Pele já esteve presente em inúmeros eventos, a exemplo do “Univasf para Todos”, que aconteceu em novembro do ano passado, e das comemorações pelos 10 anos do curso de Psicologia, em março último.

Para solicitar a realização do Sentindo na Pele, a organização do evento deverá enviar um Memorando para a CPEI, contendo a data e o local onde o evento será realizado, com no mínimo 30 dias de antecedência. Também é necessário fornecer a infraestrutura básica de mobiliário, como mesa, algumas cadeiras e expositor de banner. Os equipamentos utilizados nas ações do projeto são fornecidos pela própria CPEI.