Com o objetivo de conscientizar a população a respeito da crise por que passa o Parque Nacional da Serra da Capivara, servidores e terceirizados do Campus São Raimundo Nonato (PI) produziram um vídeo usando a Língua Brasileira de Sinais (Libras). A produção foi realizada no curso Básico de Libras, promovido pela Superintendência de Gestão de Pessoas (SGP), no período de 10 a 18 de agosto. 

Os 12 participantes fizeram o vídeo no Museu do Homem Americano e relatam a situação em que se encontra o maior sítio arqueológico do Brasil. Segundo o intérprete de Libras da Univasf Getro Reis, essa foi uma forma de chamar a atenção das autoridades para a importância da preservação do lugar. "O Parque passa por um momento de crise financeira. Não há verba para pagamento de vigias e guias. O local está abandonado. Pinturas de milhares de anos são alvo de depredação e animais estão sendo caçados. O produto contempla um apelo em Libras às autoridades bem como à sociedade", destaca.

Esse é o segundo vídeo produzido pelos servidores e terceirizados do Campus. O primeiro foi feito em dezembro de 2015 e mostra a importância do aprendizado de Libras. Outras produções semelhantes também foram realizadas nos Campi Senhor do Bonfim (BA), Paulo Afonso (BA), Juazeiro (BA) e Petrolina (PE). Para Getro, esse trabalho visa mostrar que o idioma visual não é complicado e com isso atrair a comunidade acadêmica a querer aprender também. “Através da língua podemos conversar sobre qualquer assunto, desde uma música, como foi o caso de Senhor do Bonfim, até uma chamada turística, como foi em Paulo Afonso”, disse.